Design sem nome (3)

Guarapari: Suspeitos de extorquir comerciante são presos em Guarapari

Dois homens, de 40 e outro de 35 anos, foram presos durante a Operação Levítico, realizada pela  Polícia Civil do Espírito Santo (PCES), por meio da Delegacia Especializada de Investigações Criminais (Deic) de Guarapari. Eles são investigados pelo crime de extorsão.

Por meio de investigação, segundo a polícia, foi possível localizar e prender o suspeito de 40 anos na residência dele na região da Praia do Morro, em Guarapari.

No local, foram apreendidas três armas de fogo, munições, além de aparelhos celulares, tablet, notebook, quantia em dinheiro (nacional e internacional), folhas de cheques, blocos de notas promissórias, folhas de notas promissórias com assinaturas e vários documentos de veículos de proprietários diversos. Uma arma de fogo foi identificada como roubada em outro estado.

Já o suspeito de 35 anos, foi localizado no bairro Muquiçaba, no mesmo município. No local alvo da operação, a equipe encontrou apenas o pai e o irmão do suspeito, sem nada ilícito. A equipe então foi a outro imóvel, em outra rua, onde ele foi localizado e detido.

A ação também contou com o apoio da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (CORE), da Divisão Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Guarapari e da Polícia Militar do Espírito Santo (PMES).

Vítima procurou a polícia para denunciar ameaças 

As investigações tiveram início após a vítima principal procurar a Delegacia Especializada de Investigações Criminais de Guarapari e relatar ter recebido ameaças por áudio, além de visitas de cobradores em seu estabelecimento comercial.

“As ameaças eram alarmantes, incluindo ameaças de morte explícitas como ‘se você não pagar, resolvo na pólvora’ e ‘coloco fogo em você e no seu comércio’. Essas intimidações não apenas aumentavam o medo da vítima, mas também o montante da dívida exigida. O caso envolveu ameaças graves e exigirá medidas rigorosas das autoridades para garantir a segurança da vítima e responsabilizar os envolvidos”, relatou a titular da Delegacia Especializada de Investigações Criminais de Guarapari, delegada Rosane Cysneiros.

A delegada Rosane Cysneiros destacou ainda que durante o período de investigação, a vítima chegou a passar alguns dias fora da cidade, buscando segurança em outro estado. Mesmo assim, foi ameaçada por telefone enquanto estava lá, apesar de ter trocado de número.

“Os dias que passou fora foram para garantir sua integridade física. Após retornar do município de Guarapari, nossa operação foi deflagrada”, explicou a delegada. 

As investigações continuam em segredo de Justiça. “No entanto, é importante que pessoas enfrentando situações semelhantes de extorsão devido à agiotagem procurem a Deic de Guarapari. Medidas estão sendo tomadas para proteger essas vítimas, mesmo que os alvos ou os agiotas sejam diferentes. É essencial que essas vítimas denunciem, seja diretamente na delegacia ou por meio do 181”, declarou Rosane Cysneiros.

Os detidos foram conduzidos ao plantão da 5ª Delegacia Regional (DR) de Guarapari, onde foram cumpridos os mandados pelo crime de extorsão.

O suspeito de 40 anos também foi autuado em flagrante por posse ilegal de armas e munições e receptação. Posteriormente, eles foram encaminhados ao Centro de Detenção Provisória de Guarapari e Viana, respectivamente.

(DA REDAÇÃO \\ Gut Gutemberg)

(INF.\FONTE: Internet \\ ES em Foco)

(FT.\CRÉD.: Internet \\ Divulgação)